Archive | PT.PORTUGAL RSS feed for this section

BACALHOEIRO – PORTO.PORTUGAL

6 abr

Há um ano, lá estávamos nós, em plena sexta-feira da Paixão, comendo bacalhau do Porto… Ah-ah… No Porto. Na verdade, em Vila Nova de Gaia, vizinha a Porto, do outro lado do Rio Douro.

Gaia e Porto - Vista da Ponte Luiz I

Naquele dia, chegamos em Porto após as 19:00h. Chovia torrencialmente e sequer foi possível avistar o Douro quando o trem atravessou de Gaia (margem sul) para Porto (margem norte), cortando uma das inúmeras pontes que ligam as duas cidades.

Para aqueles que viam Porto pela primeira vez (meus pais e minha irmã), talvez a primeira impressão tenha sido a pior possível. Tudo a nossa volta era cinza, nublado e encharcado.  Mas eu, insistente como sempre,  queria oferecer a eles o melhor de Porto, com ou sem chuva.

 Antes de descer do táxi, pedi ao taxista que nos indicasse o melhor bacalhau da cidade e ele, sem hesitar, nos apresentou  “O Bacalhoeiro”, um restaurante à beira do Douro, em Gaia. Tão logo nos acomodamos no hotel, seguimos para Gaia, de táxi, em busca do melhor bacalhau portuense. 6,85 Euros depois, na bandeira 3 (bandeira para ir de uma cidade a outra), o táxi nos deixou na porta do restaurante.

Um prédio centenário  de traços simplórios, “mirando” o Douro e Porto. Passaria despercebidos por nós, não fosse a indicação convicta do taxista. Ao cruzar a estreita porta de entrada, nada de estilo clássico. Tudo muito moderno, em cores fortes e joviais.

A simpática garçonete nos acomodou em uma mesa no primeiro andar, em um salão agradável, decorado com imagens da pesca do bacalhau:

De cara, a básica entrada portuguesa no já conhecido esquema “pegue-pague”. Ela chega sem você pedir e você só paga o que come:

No rodapé do cardápio há a indicação dos valores (clique na imagem para ampliar):

Nos permitimos também uma porção de PATANISCAS, algo tipo bolinhos de bacalhau à moda portuguesa. Simples e saborosos:

Pataniscas - unidade - 1 Euro.

E aí, o grande esperado da noite, o bom e velho e precioso… Bacalhau do Porto:

Bacalhau Cremoso - 9 Euros (porção pequena).

Já havia lido sobre o Bacalhau com Natas (cremoso, no caso), mas, para não correr o risco de perder algo imperdível,  fomos  também no “bacalhau com crosta de pão de milho”, por nossa conta e risco:

Bacalhau com crosta de pão de milho - 12 Euros (porção pequena).

Resumo do Fado… 🙂 … De fato, estávamos diante de um bacalhau divino, macio, fresco, de sabor, olha só, suave e essa crosta de pão de milho, crocante e encorpada, para nós, perfeita!

Mas, no embalo do bacalhau, do cansaço da viagem e do “pause” que dá na mente após cinco dias incansáveis de bate-perna, acabamos nos passando totalmente e cometemos o pecado de não pedir uma tacinha sequer de vinho do Porto.

Aaaaah! Sei que a falta foi grande e “a regra é clara”, mas, para nosso consolo, ainda tínhamos “Porto” inteira pela frente no dia seguinte e litros e litros de vinho, pelo preço de uma taça, à nossa disposição. Perdoável! A conta, SEM vinho, com dois tipos de bacalhau, entradas e refrigerantes ficou em moderados 42 Euros. De quebra, no retorno, ainda podemos admirar a bela vista de Gaia toda iluminada, rivalizando com a vizinha, igualmente encantadora, na outra margem do rio:

INFORMAÇÕES BÁSICAS:

– O Bacalhoeiro fica na Av. Diogo Leite, nº 74, Vila Nova de Gaia. De cara com o Douro, logo depois da Cave da Sandeman:

– Mais informações, no site do restaurante: http://www.bacalhoeiro.com.pt

– O táxi, tanto na ida como na volta, não ultrapassou 7 Euros, levando em consideração que nosso hotel ficava próximo à Rotunda (rótula) da Boavista, numa localização mais afastada da região do Douro.

Casa de Artesanato da Sé Velha – COIMBRA

23 out

Por todo canto em Portugal você vai se deparar com a belíssima cerâmica de Coimbra que, entre outras coisas, é  a cara de Portugal. Aquela cerâmica branca com motivos (geralmente) azuis, cuidadosamente  pintados à mão. Pensou?

(Diz se só em pensar já não te veio  um fado de fundo e a lembrança do sotaque português na cabeça? kkkk)

Então? Não dá pra voltar de lá sem pelo menos um exemplar na mala, qualquer porta-joinha que seja. E nada melhor que comprar a histórica cerâmica de Coimbra em Coimbra, ora pois!  Foi assim que, no nosso “um dia” batendo perna aqui e ali pela cidade,  encontramos a Casa de Artesanato da Sé Velha,  no Largo da Sé de Coimbra.

Sé de Coimbra (sec. XII)

Seu Florindo, que nos atendeu,  um achado à parte.  A princípio parece meio ranzinza, mas basta embalar a conversa que logo ele se mostra  aquela figura portuguesa que você faz questão de levar na memória:

Só a conversa com Seu Florindo já valeria a pena, mas a loja é encantadora (e assustadora também para os tipos desastrados). Cerâmica artesanal por todos os lados, em todos os formatos.

No português pt, trata-se de um comércio especializado em azulejaria e faiança (onde faiança = louça fina de barro). E os preços, pra variar, sempre convidativos, mesmo em Euro. Peças finas e únicas, já que são artesanais,  aptas a compor qualquer aparelho de jantar de luxo, custando pouco mais de R$ 100,00 (não é barato, eu sei, mas por aqui seria o dobro ou triplo disso).

Travessa de mesa (média) – R$ 58,50 Euros.

Peças menores: os porta-joinhas que falei no início, entre 3 e 4 Euros:

Porta-jóia pequenino (lusitanamente falando rs) – 4 Euros.

Além de outras peças funcionais e/ou decorativas, mais em conta,  já com cara de presentinho pra mãe, pra vó e pra aquela tia mais bacana ( que não fica perguntando quando você vai casar em todo almoço de família):

Leiteira (peq.) 12 Euros / Açucareiro – 25 Euros/ Bandeja – 10 Euros.

Cada peça ainda traz o nome do artesão que a produziu. Fora isso, nesse “mundico” globalizado, se tornou uma delícia comprar alguma coisa que não seja “Made in China”.

Não comprar uma dessas peças em Coimbra é como voltar de Porto sem um vinhozinho sequer… #fatotrágico 🙂

Como disse inicialmente, vi muitas lojas vendendo essa cerâmica  –  tanto em Lisboa, como em Porto, como em Coimbra –  mas esta, além do Seu Florindo, tem bastante variedade e a localização ajuda muito, já que fica quase em frente à Sé de Coimbra e ao lado da escadinha que leva ao medieval Arco de Almedina, pontos básicos no roteiro turístico da cidade.

Escadaria bem ao lado da Casa de Artesanato.

Arco de Almedina

– Mais sobre a História da cerâmica de Coimbra aqui.

– Mais compras em Portugal na categoria Portugal – Compras.

– Todas as informações constantes no post se referem a abril de 2011.

Mercearia – Garrafeira Ribeira do Porto – PORTO

16 out

O Cais da Ribeira é onde tudo acontece em Porto. Bares, restaurantes, artesanato, tudo pode ser encontrado ali, às margens do Rio Douro.

Rio Douro - Ribeira - Porto.

A atmosfera do lugar é uma delícia e, com certeza, em sua primeira vez em Porto todos os caminhos te levarão à Ribeira. É o destino natural da “turistada”.

Praça da Ribeira

E em Porto, não há como escapar, todos os caminhos também te levarão ao famoso e delicioso Vinho do Porto. Há vinho por todos os lados e preços que fazem qualquer um, mesmo aqueles que não estão nem aí pra vinho, querer aproveitar a “liquidação”: vinho do Porto por qualquer 5 Euros não é todo dia que se encontra. Foi assim que, caminhando pela Ribeira, me deparei com a Mercearia Garrafeira Ribeira do Porto.

Mercearia Garrafeira Ribeira do Porto

A vitrine abarrotada de vinhos lindos, envelhecidos e baratos, de cara, me chamou a atenção.

A vitrine, ou melhor, montra de vinhos (e eu, minha mãe e Gaia no reflexo... ehehe).

Não bastasse isso, o estilo “bodega do Seu Manoel”, simples e simpático, me conquistou.

E, fato, a variedade e os preços dos vinhos são realmente um convite e uma tentação.

Em 2009, saí de lá com uns seis litros 10 anos, 20 anos, miniaturas e lá vai. Agora em abril (2011), claro que levei a família para conhecer e, só pra variar, eles surtaram.

Meu pai e minha irmã certamente pensando: por onde eu começo? rs

Novamente fizemos umas comprinhas, imperdíveis e inevitáveis (não dá pra perder essa oportunidade):

Porto Cruz (garrafa compacta - 350ml) - 3 Euros.

Porto Cruz 10 anos em embalagem de madeira - 15 Euros.

Detalhe da embalagem.

(Sei que é deselegante falar preço de presente, mas é por uma causa nobre! rs rs)

Fora isso, o atendimento é muito familiar. Bem de acordo com o estilo do lugar, trata-se de um comércio de família, onde trabalham marido, esposa e filhos (ou filho, não sei, só vi um), todos muito educados e atenciosos.

Essa é a minha dica, mas por lá você vai encontrar muitas opções como esta. Assim, em se tratando de vinhos do Porto em Portugal, cada um constrói a sua história. A minha indicação é: em Porto, adote uma mercearia. Eu adotei a minha:

Para encontrá-la, basta caminhar no trecho de restaurantes e lojas localizados entre a Praça da Ribeira e a Ponte D. Luis, à margem do Rio Douro (ela está aí, nesse “miolo” que aparece na foto):

– Todas as informações se referem a abril de 2011.

– Mais sobre compras em Portugal em Portugal.Compras.

– Todos os posts de Porto eu dedico à web-amiga Lais Nascimento, que uma hora dessas está por lá, curtindo essa cidade linda, e mesmo assim sempre arruma um tempinho para mandar notícias.

Tour Bacalhoeiro – Portugal (abril.2011)

14 ago

Para comemorar o POST 100 do blog, vou fazer um post, tipo assim,  “100” comentários. Tipo o bacalhau de Portugal que, não adianta falar, tem que comer e ponto. Então, lá vai a dica nº 100 do Miss, curta e grossa (caloricamente falando) ,  sem comentários 🙂

O QUE:  Bacalhau à Braz.

ONDE:  Casa Brasileira – Rua Augusta, nº 267, Lisboa.

QUANTO:  8 Euros.

———————————————————————-

O QUE:  Bacalhau à casa.

ONDE:  Casa Brasileira – Rua Augusta, nº 267, Lisboa.

QUANTO:  8 Euros.

———————————————————————-

O QUE:  Bacalhau Assado.

ONDE:  Lautasco – Beco do Azinhal, nº 7, Alfama, Lisboa.

QUANTO:  13,90 Euros.

———————————————————————-

O QUE:  Bacalhau suado à Lisboa antiga.

ONDE:  Clube de Fado – Rua  João da Praça, nº 94, Alfama, Lisboa.

QUANTO:  24 Euros.

———————————————————————-

O QUE:  Bacalhau cozido com todos.

ONDE:  Casa Brasileira – Rua Garrett, nº 120, Baixa-Chiado, Lisboa.

QUANTO:  10,50 Euros.

———————————————————————-

O QUE:  Bacalhau à Montanha.

ONDE:  Café Montanha – Largo da Portagem, nº 10, Coimbra.

QUANTO:  8,00 Euros.

———————————————————————-

O QUE:  Bacalhau com natas (bacalhau cremoso).

ONDE:  Bacalhoeiro – Av. Diogo Leite, nº 74, Vila Nova de Gaia (às margens do Rio Douro).

QUANTO:  9,00 Euros.

———————————————————————-

O QUE:  Bacalhau com crosta de pão de milho.

ONDE:  Bacalhoeiro – Av. Diogo Leite, nº 74, Vila Nova de Gaia (às margens do Rio Douro).

QUANTO:  12 Euros.

———————————————————————-

Sistema de transporte – LISBOA

5 maio

O sistema de transporte de Lisboa é muito bacana: simples, eficiente e barato. Então, para que você se sinta um lisboeta, tirando de letra o transporte coletivo local, aí vão as dicas!! 🙂  🙂

Na sua primeira saída pela cidade, entre na estação de metrô mais próxima e adquira, de cara, seu CARTÃO VIVA VIAGEM:

frente

 

verso

Esse cartão vai ser seu companheiro de aventuras lisboetas do início ao fim… Além do metro (metrô), ele também garante acesso aos eléctricos (bondes) e autocarros (ônibus).

O VIVA VIAGEM é adquirido em qualquer das máquinas de bilhetes espalhadas pelas estações de metrô da cidade:

 O sistema da máquina é super fácil , não tem errada, até porque, o melhor de Portugal… É que está tudo em Português… kkkkkkkkkkkkk… Vamos combinar, faz toda a diferença!!!!

Na tela inicial, para adquirir o CARTÃO, basta clicar na opção indicada:

 O cartão custa 0,50 centavos de Euro e, na tela seguinte, você seleciona quantos cartões quer adquirir:

Na terceira tela, você seleciona os valores a serem carregados no seu cartão:

Na minha opinião, para quem vai bater Lisboa de canto a canto, indo e voltando de tudo quanto é jeito (autocarro, metro e eléctrico), a melhor opção, sem dúvida, é o bilhete 24h, que custa 3,95 Euros. O melhor é que ele dura por 24 horas mesmo e não por dia, como acontece em Paris. Se você compra-lo, por exemplo, às 13h de hoje, ele vale até as 13h de amanhã e, nesse período, você anda nos transportes já citados de forma ilimitada. BOM “DÊMAIS”!! Nesta opção, Carris/Metro 24h, ao carregar, você ainda pode optar pelo número de viagens, ou seja, de títulos 24 horas a serem creditados no cartão. Assim 1 viagem = 24; 2 viagens = 48 horas e por aí vai:

Para pagamento, a máquina aceita tanto moedas quanto cédulas de até 20 Euros:

 O troco e o recibo saem por uma abertura logo abaixo do monitor (confira na primeira foto).

Para recarregar seu CARTÃO VIVA, basta inseri-lo na opção do centro, em verde, onde está indicado “CARTÕES” (foto acima), e seguir as instruções da máquina (já mostradas nas fotos anteriores).

Para entrar e sair do metrô, não precisa enfiar o cartão em nada… rs rs… Basta passar no sensor:

E nos autocarros e eléctricos basta passar seu cartão no pequeno sensor que fica logo na entrada do veículo. O da foto abaixo é o de Porto, mas  tá valendo… rs rs, pois é bem parecido com o de Lisboa… Esqueci de tirar foto 😦  

O cartão VIVA também vale no Elevador da Glória. No Elevador de Santa Justa, você passa o cartão e paga apenas a metade do bilhete, ou seja, 1,50 Euro (inteira = 3 Euros).

Observação importante: Sem o cartão, ou com o cartão descarregado, você pode comprar o bilhete, avulso, no próprio transporte (ônibus ou bonde) e, só para comparar, uma viagem de autocarro (ônibus) custa 1,50 Euro e os eléctricos (bondes) retrô  (os antiguinhos bonitinhos… linhas 12 e 28) custam 2,50 Euros. Note como o passe VIVA 24h sai bem mais em conta: por 3,95 Euros você anda em tudo, sobe e desce, desce e sobe, quantas vezes quiser, durante as 24 horas… #ficaadica total…  rs rs.

Bilhete avulso para uma única viagem, para quem não possui o CARTÃO VIVA VIAGEM.

 
Mais informações, nos sites Carris.PT  e Metro de Lisboa .
 
 

Clube de Fado – LISBOA.

1 maio

Nas minhas pesquisas turísticas antes da viagem, joguei no google: “bacalhau em Lisboa”. Saiu, claro, uma lista enoooorme. Fucei e fucei até achar o que estava procurando: uma comida típica em um restaurante típico, onde típico, para mim, é igual: uma ruazinha estreita, em um pequeno prédio estreito e antigo, preferencialmente, em um dos bairros mais pitorescos de Lisboa, Mouraria/Alfama.

Pronto… Ao clicar no CLUBE DE FADO, saciei minhas expectativas de destinos culinários para levar na bagagem.

O restaurante, localizado na rua da lateral direita da Sé, Rua São João da Praça, é realmente tudo o que promete em seu site, exceto no que toca ao Bacalhau com Natas que, ao chegar lá, fui informada que não integra a ementa (cardápio) da casa. Mas  isso não foi problema diante das outras opções igualmente tentadoras.

Saímos do hotel de táxi (6,80 Euros o percurso Holiday Inn Continental – Alfama), por volta das 22:30h da quarta-feira (20/04/2011). Embora fosse meio de semana, como não fizemos reserva, quase não encontramos mesa disponível. Mas, os garçons, muito simpáticos, conseguiram uma vaga para nós.

Ficamos no pequeno salão, à direita do salão principal:

Rua São João da Praça - Alfama.

Salão Principal

Entrada do segundo salão.

 A portinha estreita dá para um pequeno rol de entrada, com vista para uma das escadinhas de Alfama, e onde eles exibem, com orgulho, fotos de clientes famosos:

 

De meia em meia hora, apagavam as luzes e um curto show de fado era apresentado.  Em cada apresentação, cantavam  uns três fados, muito bem interpretados em canções cativantes. Tão logo encerravam a curta e bela apresentação, todos voltavam aos pratos, tão entusiasmantes quanto.

Claro que, em nosso tour bacalhoeiro por Portugal, pedimos, obviamente, bacalhau, obviamente divino (rs rs):

Bacalhau suado à Lisboa antiga - 24 Euros.

Eu e minha irmã  nos contentamos com uma entrada de gambas (onde, gambas = camarões) e uma salada de fartos tomates “precióóóóóósos”:

Gambas no alho - 18 Euros.

 

Salada de tomates com queijo - 8,00 Euros.

 A atmosfera é bastante agradável e o atendimento é “top de linha”. Os garçons são bastante atenciosos e prestativos.  Boa parte dos clientes eram turistas, alguns brasileiros e outros europeus, com suas línguas variadas, igual saco de balas sortidas… rs rs… Cada mesa um idioma!!

EMENTA:

Antes de pedir a conta, solicitei ao gentil garçom que nos atendeu que me levasse até o poço moiro que havia visto no site deles, um “poço dos desejos” cravado no salão principal do restaurante.  Engraçado  que o poço fica em meio às mesas e ele, o garçom, com sua prática, passava rapidamente entre elas, como uma pena… Já eu… com minhas perninhas curtas, minha bolsa pesadíssima, cheia de guias, e minha câmera enoooorme, tipo de turista “japa”, parecia um pequeno elefante tentando passar por entre as cadeiras… kkkkkkkkkk… Mas consegui! 🙂

Poço Moiro

Em relação à conta, não foi das mais agradáveis. Além da comida, eles cobram os fados, por pessoa,  couvert e as entradas, aquelas que chegam na mesa com cara de cortesia… Lêdo engano:

4 fados: 30 Euros.

Couvert: 20 Euros.

Entrada involuntária... rs rs... Alguns Euros (que não me lembro agora!)

No total, com os pratos e refrigerantes, nossa conta ficou em 115 Euros (a conta mais cara da viagem). Mas valeu a pena!

Amei o lugar, a comida e o atendimento, por isso, aí está mais um #ficaadica LISBOA.

Para mais informações, clique aqui .

               

Álbum de Família – PORTUGAL

30 abr

A pedidos do Vô, da Vó, dos tios, das tias, dos primos, dos gatos, cachorros e periquitos (todos, sem exceção, do Clã Guimarães e  Barbosa)… kkkkkkk… Aí vai… O relato fotográfico das aventuras lusitanas de uma família verde e amarelo, estreante e radiante em Portugal:

Campo Pequeno - LISBOA.

Praça do Comércio - LISBOA.

Miradouro de São Pedro de Alcântara - LISBOA.

Casa Brasileira - Rua Augusta - LISBOA

Meu pai e seu europeu favorito: SMART for two - LISBOA.

Miradouro do Parque Eduardo VII - Rótula Marquês de Pombal - LISBOA.

Calçadão do Parque Eduardo VII - LISBOA.

Parque Eduardo VII - LISBOA.

Rossio - LISBOA.

 

Mosteiro dos Jerónimos- BELÉM (acentuado conforme o português pt, ok?)

 

TORRE DE BELÉM

 

Yellow Bus - Praça da Figueira - LISBOA.

 
 

Cabo da Roca - Região de SINTRA.

Palácio de Cristal - PORTO.

 

Palácio de Cristal - Jardins com vista para o Rio Douro - PORTO.

Palácio de Cristal - Jardim de Entrada - PORTO.

Ponte D. Luís I, Ribeira - PORTO.

Cais da Ribeira - PORTO.

Foz do Douro - PORTO.

COIMBRA