Arquivo | CROÁCIA RSS feed for this section

SPLIT – CROÁCIA por Marilda Uchôa

6 ago

Vamos continuar nossa viagem pela Croácia em mais um texto delicioso e informativo da Marilda. A cidade de hoje é Split, mais uma dica cheia de encanto e História 😉

map_of_croatia - Split

Mapa disponível em www.lonelyplanet.com

Quando chegamos a Split pensamos: “Meu Deus, que lugar delicioso!”. Delicioso é mesmo o adjetivo mais apropriado. Andar por seu calçadão à beira mar, compara-se ao prazer gastronômico de saborear “aquele” prato surpreendente, com a perfeita combinação de ingredientes. Mas vamos por partes.

Split - Croácia

Calçadão e o Palácio de Diocleciano ao fundo – Split.Croácia

Split é a segunda maior cidade da Croácia – menor apenas que a capital Zabreb – e a maior da região da Dalmácia. Todavia, com seus 200.000 habitantes, está longe de ter cara de cidade grande. E fora de sua zona turística na costa, a cidade é bem espalhada.

O percurso de Dubrovnik para Split foi super tranquilo pela recém-descoberta A1. Cerca de 220 km. Lembrando que o trajeto pode ser feito pela autopista – mais rápido – ou pela costa – mais bonito e lento, porém com bastante curvas.

Split é conhecida por sua tradição em formar boas equipes de polo aquático (informação esta que foi confirmada por meu esposo, amante dos esportes). Por isso, é comum encontrar na cidade um número expressivo de parques aquáticos. Estes, porém, estão fora da zona turística.

Por este motivo também, nosso hotel de 3 estrelas bem simples, tinha mais cara de uma hospedagem do SESC. Quando abrimos as cortinas do quarto, demos de cara com duas mega piscinas olímpicas, bandeirolas e arquibancadas de ambos os lados! Sentimo-nos no camarote da imprensa.

Mas chega de desmerecer o hotel. Foi só uma brincadeirinha. Apesar de realmente simples, sem luxo, era bastante limpo, silencioso, boa cama, bons lençóis e banheiro, estacionamento próprio, um lindo e amplo parque em frente e muito próximo do calçadão. Íamos andando.

Ah sim… “O” calçadão! Com um “quê” que nos fez lembrar o igualmente maravilhoso “Passeio das Delícias” em Sevilha, na Espanha, o calçadão à beira do Adriático “inebria e entontece”. Branco, largo, com pássaros a cantar e sobrevoá-lo e pessoas em suas mesas ao ar livre, degustando um café, fazendo um lanche ou apenas embriagando-se com “l’ambiance”.

Split - Croácia

Vista do calçadão à beira do Adriátrico – Split/Croácia

Em Split, a atração principal é indubitavelmente o Palácio de Diocleciano, construído no início do século IV para ser a última residência do imperador após sua renúncia por motivo de doença.

O palácio hoje em dia já não conserva sua fachada original. A população veio paulatinamente incorporando suas dependências à cidade, construindo e aproveitando suas áreas úteis. Todavia, muito do seu interior continua intacto!

Split-Croácia

Muros do fundo do palácio. Estes ainda são originais.

Como pontos imperdíveis tem-se, primeiramente, a Catedral de São Domnus, construída para ser o mausoléu do imperador e considerada a menor do mundo! Uma fofa! Também não se deve deixar de passar por aquela que é considerada pelos croatas como “a rua mais estreita do país”, a “Deixa-me passar”!

Se for supersticioso e quiser voltar, não deixe de dar uma boa alisada no dedão do pé do Bispo de Split. É o que dizem os locais. Uma enorme e linda estátua de bronze localizada na saída da rua principal do palácio – este tem um formato quadrado e possui duas ruas largas e principais que se cruzam, além de outras inúmeras vielas. As vezes formam-se filas para acariciar o famigerado hálux.

Split-Croácia

Estátua do grande Bispo ao fundo

Na magnífica praça central onde as ruas principais se cruzam há restaurantes, lojinhas, agências de turismo, entre outros. Lá também pode se observar ruínas originais da obra e as impressionantes esfinges trazidas do Egito que datam de 1.500 a.C.!

Split - Croácia

A lindíssima praça no centro do palácio onde as duas ruas principais se encontram. À esquerda está a entrada para a pequena catedral.

Nesta mesma praça encontram-se guias turísticos que fazem passeios de meia, uma ou duas horas pelos arredores do palácio, a depender do gosto e interesse do cliente. Nós fizemos e recomendamos! Eles mostram detalhes que, sem orientação, passar-nos-ia despercebidos.

O Palácio de Diocleciano – onde hoje em dia, inclusive, muitos moradores de Split têm suas residências – é uma caixinha de surpresas. Vale caminhar por suas ruelas observando calma e cuidadosamente seus detalhes.

Numa de suas praças, por exemplo, pode-se verificar diversos estilos arquitetônicos de diferentes épocas num só lugar! O Templo de Júpiter, também original da construção do século III, também merece a visita. E esperamos que vocês possam contar com a presença super carismática do “vovozinho” que guarda sua entrada.

Split - Croácia

Dentro do palácio, tem-se nessa praça, prédios com quatro estilos arquitetônicos diferentes, de diferentes épocas.

À noite, além é claro do convidativo calçadão – fico aqui imaginando o romantismo daquele local para os casais enamorados em uma noite de luar – vários bares e restaurantes permeiam os arredores do palácio. Os hotéis dão boas indicações.

Anúncios

DUBROVNIK – CROÁCIA por Marilda Uchôa

1 jun

Considerada a “Pérola do Adriático”, Dubrovnik faz jus à alcunha. Uma cidade imprensada entre o mar e as montanhas. Uma paisagem única. Limpa, linda e com muito verde. Gente alegre e simpática mesmo com a chuva que – às vezes finas, às vezes mais forte – não cessava.

Dubrovnik - Croácia

Mar Adriático e vista das muralhas ao fundo

Apesar do tempo nublado e chuvoso, sua beleza não se abateu. Seu clima já é bem mais confortável que o de Zagreb (única cidade visitada que não está na costa) e a antiga cidade murada é a atração principal. Bares, restaurantes, museus, lojas, igrejas e muitas residências, tudo dentro dos muros que, antigamente, comportavam toda a cidade.

Dubrovnik - Croácia

Uma das ruas principais já dentro da cidade murada – Dubrovink/Croácia

 Dubrovnik, apesar de pequena – 50.000 habitantes – possui um aeroporto. E foi por lá, no nosso terceiro destino e quinto dia de viagem, que a bendita mala chegou. Graças ao bom Deus, intacta. Todavia, como já citei no texto sobre Zagreb, fizemos todo o percurso de carro.

E aqui vale um parêntese para a DICA 02: Tanto a Croácia como a Bósnia estão com uma nova e bela autoestrada, a A1. Contudo, apesar de recém-atualizado, nosso GPS não identificava tais rotas (só soubemos de suas existências no meio da viagem), o que nos colocou em algumas situações indesejadas que contarei mais adiante.

De acordo com os próprios croatas, deve-se sempre evitar o alto verão na Croácia. As temperaturas chegam a beirar os 40°C e a quantidade de visitantes deixa as cidades costeiras intransitáveis. Resumindo, maio e setembro seriam as melhores épocas no ano. Se optar por meados de abril ou outubro, por exemplo, vá preparado para não largar o guarda-chuva, ouvir alguns trovões e deixar de presenciar a luz do sol dando um upgrade no colorido da cidade.

Ruínas da Cidade Murada - Dubrovnik - CROÁCIA

Ruínas Romanas dentro da cidade murada

Além disso, Dubrovnik é a sensação turística do momento em vários lugares do mundo, sem contar que sempre foi a queridinha do país com suas muralhas, patrimônio mundial da UNESCO desde 1979.

Ruínas Romanas - Dubrovnik - CROÁCIA

Ruínas Romanas

Muitos moradores de Zagreb a propósito, possuem casas de veraneio na cidade e para lá se mudam durante a estação mais quente. Ou seja, de todas as cidades costeiras por onde passamos, ela é a mais concorrida.

Dubrovnik - Croácia

  Um passeio que sugerimos – além é claro de “bater perna” por toda cidade antiga – é contornar a muralha de cima! Isso é pago. Cerca de R$ 45,00 por pessoa. Mas a vista e o passeio compensam!

Muralhas - Dubrovnik - Croácia

É uma caminhada muito particular, vendo o azul imenso do Mar Adriático de um lado e toda cidade intramuros de outro. Inclusive podendo observar casas, escolas e todo aquele dia a dia de uma realidade tão diferente da nossa. Sem contar as fotos que ficam incríveis!

Vista da Muralha - Dubrovnik - CROÁCIA

Vista da cidade intramuros de cima da muralha

Outro passeio recomendado é o teleférico que vai da parte baixa à alta da cidade. Este não nos foi possível fazer por conta do mau tempo. Inclusive perdia-se em meio às nuvens carregadas de chuva que às vezes pareciam querer nos engolir. A vista desde o topo da montanha tão próxima à costa deve ser de tirar o fôlego.

Dubrovink - CROÁCIA - Teleférico

Já fora dos muros. Nessa altura está o teleférico totalmente encoberto

Quanto a se buscar locais para hospedagem, é importante estar atento a um fato. Em todas essas cidades da costa croata que visitamos (região da Dalmácia), é um tanto difícil encontrar hotéis. A Croácia possui muitos “apartments”, como eles mesmos chamam, que são apartamentos de fato, contam com serviço de arrumadeira, mas não possuem recepção, café da manhã ou qualquer serviço de quarto.

Essa opção de hospedagem é muito encontrada também em Veneza, na Itália, e é uma alternativa pra quem quer pagar um pouco menos e não se incomoda com a falta dos itens acima. Geralmente são administrados por hotéis. Consegue-se informações sobre os mesmos na própria net ou questionando diretamente os hotéis.

 Alguns poucos e bons hotéis estão bem centralizados. No meio do “burburinho” como se diz. Porém, tem de se estar disposto a pagar um pouco mais por isso. E vale lembrar que, em sua maioria, esses bem centralizados – sejam hotéis ou apartments – não possuem estacionamento próprio, haja vista a cidade ser pequena e muitas vezes nem permitirem tráfego de carros na região central. Já hotéis maiores, de rede, com estacionamento e outros mimos, ficam geralmente distantes do centro turístico.

Ah! Não se pode deixar de jantar numa das inúmeras e estreitas ruelas dentro das muralhas! Há opções de preços para todos os bolsos. Fora das muralhas há também ótimas opções sempre bem indicadas pelos hotéis.

Ruelas de Dubrovnik - Croácia

Uma das ruelas de Dubrovnik, com bares, restaurantes, lojinhas, etc…

Os vinhos croatas também fazem sucesso! Não se pode deixar de prová-los. E se porventura estiver com o bolso cheio e pouca fome, ou seja, disposto a pagar, na verdade, pela inigualável vista, a opção mais famosa é o Restaurante 360º, o mais “fancy” do lugar.

360Dubrovnik

Restaurante 360Dubrovnik – Croácia| Imagem disponível em 360dubrovnik.com

Por fim, se tiver tempo e disposição, várias agências e alguns hotéis em Dubrovnik oferecem o passeio de um dia à Montenegro, país vizinho. Kotor é uma cidade também patrimônio mundial da UNESCO e possui os fiordes mais setentrionais do planeta! Budva é uma pequena cidade antiga que se tornou um grande resort também à beira do Adriático. Esta vem se tornando o hit do momento.

mapa-de-montenegro

Mapa disponível em www.sedeviajes.com

Infelizmente não tivemos tempo hábil para tanto, apesar de termos nos encantado com Montenegro desde as pesquisas no Brasil. Mas sem problema! Deixou o gostinho de quero mais e a promessa de volta!

Texto| Marilda Uchoa

Fotos| Marilda Uchoa e Hilton Rocha

_____________

Coisa linda, minha gente! Amando os posts da Marilda 😉

ZAGREB – CROÁCIA por Marilda Uchoa

11 maio

Não esperava que assim, de repente, iria acabar abrindo a categoria ‘Croácia’ aqui no Miss. O presente veio da amiga Marilda Uchoa, que me trouxe essa delícia de lugar através do seu relato, com texto e fotos. Preciso dizer que adoooooro? Ela me prometeu uma série de textos, contando cidade a cidade sua recente passagem pela Croácia e Bósnia em abril de 2014. Aguardo ansiosa. Hoje começamos por Zagreb. Vou parando de tagarelar por aqui e agora sigam com o texto que a Marilda fez pra nós 😉

Mapa Croácia

Mapa disponível em http://pessoas.hsw.uol.com.br

Após 25 horas de viagem e uma mala desaparecida, chegamos a Zagreb, capital da Croácia. Apesar da primavera ter chegado há 3 semanas, o frio de 9°C e os ventos cortantes faziam qualquer brasileiro jurar que estávamos no inverno. Por esse motivo, é recomendável checar as condições do clima da época em que se deseja viajar. Soubemos com os locais que nos últimos dois anos nevou no mês de maio! E apesar de não termos tido o prazer de presenciar neve, a indesejada chuva se fez bastante presente.

Igreja de São Marcos - Zagreb - Croácia

Zagreb – ao fundo, Igreja de São Marcos com seu telhado particular.

                Alugamos um carro ainda no Brasil e já saímos do aeroporto com o mesmo. GPS a postos, tranquilamente chegamos ao hotel bem centralizado. As vias são novas, bem sinalizadas e o tráfego tranquilo. DICA 01: É necessário apresentar uma carteira internacional de habilitação para se locar um carro na Croácia. Além disso, o cartão de crédito a ser apresentado na locadora para caução, deve ser da própria titularidade do motorista. Há cobrança de pedágios nas estradas, mas estes não são caros.

                Apesar de já fazer parte da União Europeia, a Croácia ainda não adotou o Euro como sua moeda. Esta se chama Kuna e vale aproximadamente R$ 0,50. Com US$1,00 dólar compra-se 5,00 Kunas, o que faz com que os preços praticados com o turismo no país não sejam nada exorbitantes.

Zagreb - Croácia

                Confirmamos in loco a impressão que tivemos ao pesquisar Zagreb ainda no Brasil. Pouco a ver e fazer. Chegamos à noite e ao sair para jantar – do hotel fizemos todo o centro e pontos turísticos a pé – percebemos que o vento congelante mantinha os moradores dentro de suas casas e tornava a cidade meio fantasma.

Jardins de Zagreb - Croácia

                A Catedral, o Mercado Central e a Igreja de São Marcos – com seu telhado pitoresco nas cores da bandeira croata – são as principais atrações.

Mercado Central - Zagreb - Croácia

Mercado Central – Zagreb – Croácia

Além disso, vale caminhar por entre as ruelas próximas ao mercado com várias opções de bares e restaurantes. O que deve ser bastante agradável com sol e clima mais ameno.

ZAGREB - Post Croácia

Rua Tkalciceva, cheia de bares e restaurantes – Zagreb.Croácia

Zagreb é uma cidade muito ampla e arborizada e o que lhe falta em pontos turísticos sobra em lindos e amplos jardins que nos convidam para passeios a pé, leituras em seus bancos ou pic-nics. Todavia, ficamos apenas um dia inteiro e acreditamos ter sido o suficiente.

Igreja de São Marcos

Lindo 😉

Para continuar passeando pela Croácia, leia também o relato da Marilda sobre DUBROVNIK.